domingo, agosto 19, 2012

Revide

Crer que acertava enquanto insistia no mesmo erro foi o paradoxo que trouxe a decepção com meu próprio ser. Não tenho mais o pés no chão para que possa fugir e muito menos asas para tentar voar. Não tenho mais mentiras e máscaras para fingir, nem passos no caminho feito para saber voltar. Não sei mais encontrar as palavras que possam me tirar esse peso que estou carregando.
   Eu costumava pensar que na vida tudo tinha uma razão para ser e acontecer. Mas agora, sinceramente, tanta coisa se passou e aconteceu... Estou confusa e sem razão. Minhas memórias tentam encontrar respostas para toda essa angustia guardada. Se não sei nem quem eu sou, como poderei entender o que faço e sinto?
   Deus, se ainda está aí, pode me dar um sentido? Sem lados, sem oposição. Enquanto eu amo tentando não morrer. Se continua aí, Deus, leve-me de uma vez ou aniquile todo o horror dos meus passos desengonçados que não sabem para onde vão. Quem sabia? A dúvida era uma boa aliada, mas se até mesmo ela se calou por não encontrar nunca uma solução, como posso então, tentar seguir em frente? Esquecer não é possível e "nada pode o olvido com o forte apelo do não". Desculpa parafrasear qualquer rima de poeta, qualquer frase e dialeto. Eu estou enlouquecendo sem saber. Minhas palavras? Fugiram. Até elas tiveram forças para andar, correr, ir embora. Enquanto eu continuo no mesmo lugar desconhecido.

Flávia Andrade
319554_418837351517862_923720066_n_large

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, por ler e comentar. Retorne sempre que sentir vontade.

Natasha

Natasha
Adquira o seu!

Blues Mudo

Blues Mudo
Disponível no Wattpad
Tecnologia do Blogger.

Curta no Facebook