sábado, outubro 26, 2013

   A vasta escuridão se delicia com o medo
   intimida a luz, faz dela sombra o que temo
   cria lendas, terrores, ficções, inspira o simbolista
   a canção do silêncio, a prece e oração que ecoam da alma aflita
   E devagar da llareira nasce o poeta
   surdamente o suspense lhe penetra
   O fogo ardente relutante cessa ao encerrar da madrugada,
   há somente nódoa no ama-dor e mais nada
 
Flávia Andrade

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, por ler e comentar. Retorne sempre que sentir vontade.

Tecnologia do Blogger.

Curta no Facebook