domingo, julho 20, 2014

Às vezes as coisas têm fim. Raramente. De resto, apenas viram poeira embaixo do tapete.
Quando você gosta mais de quando está longe, assim podendo imaginar loucuras e risos, planejar viagens, rios, e trilhas, querer abraços e cafunés. E odeia quando chega e o amor fica tão banal, com beijo frio, café sem sabor e vontade de dormir para sonhar algo muito melhor. 
Às vezes as coisas acabam porque sonhos são diferentes.
Às vezes as coisas acabam porque o fim esteve presente no início. Pois para ir em frente com uma situação, precisou desistir de outra.
Às vezes suas coisas acabam porque quem começou não foi você.

Flávia Andrade

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, por ler e comentar. Retorne sempre que sentir vontade.

Arquivo do Blog

Tecnologia do Blogger.

Curta no Facebook