sexta-feira, março 20, 2015

Outra Como as Outras


    Outra manhã ainda com sono, outro sonho com você. Eu ainda não sei o que significam os sonhos, eu ainda não sei o que aconteceu com nós. Outro dia e ainda não deixei para trás, outro dia que nem dói tanto, mas ainda sinto. Não nos falamos desde agosto e março parece tão longe, você parece tão longe e sua casa é bem ali. Tudo parece o que não é, assim como parece que te esqueci. Eu tinha tanta coisa para falar, agora eu só penso em como teria sido se eu não tivesse sido eu. Você sabe, eu faria qualquer loucura à beira do abismo em que te conheci, eu não seria eu, seria outra. Outra manhã e ainda me culpo, ainda acho em mim todos os defeitos que você escondeu bem. Outra manhã e a mesma confusão na mente e no coração. Outra manhã e escrever sobre você ainda é clichê, por mais que eu corra, as coisas nunca mudam. 

Flávia Andrade

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, por ler e comentar. Retorne sempre que sentir vontade.

Arquivo do Blog

Tecnologia do Blogger.

Curta no Facebook