segunda-feira, julho 06, 2015

"Eu falo, não me calo, tiro sarro"



    Se for pra falar das coisas que ninguém mais sabe e que quero te mostrar, digo sobre a quantidade de horas que consigo pensar numa pessoa só durante o dia. Falo do jeito que tento aprender como alguém é, pra entrar na vida dele e me encaixar entre os defeitos e as coisas não resolvidas. Explico os olhares, as caras, os risos e o vocabulário que tenho por perto de gente que gosto, como fica a colocação das palavras e o desassossego das mãos. Só não revelo segredos como as mais de vinte músicas que dei um jeito de pregar na nossa vida pra virar trilha sonora, porque eu ouço sozinha com medo de que pare de tocar. Nem conto as histórias que quase me desviaram do caminho que se encontrou com o dele, pois o que importa é o que nos trouxe até aqui. Mas se for pra não fingir nada e ser por inteiro quem sou, se for pra mostrar toda verdade e todo modo, eu ofereço um tempo infinito de vida pra contar.


Flávia Andrade

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, por ler e comentar. Retorne sempre que sentir vontade.

Arquivo do Blog

Tecnologia do Blogger.

Curta no Facebook