domingo, dezembro 02, 2012

Ainda

  

    Eu ainda tenho aquela foto sua em cima da cômoda que você fez no meu primeiro aniversário. Eu ainda tenho meu chaveiro que te fiz "papai meu herói" embaixo do meu travesseiro. Ainda guardo fotografias, lembranças e memórias no guarda-roupas junto com minhas bagunças. Pouca roupa, muita acumulação de desnecessariedades. Eu ainda estou crescendo, aprendendo, vivendo. Ainda respiro e lido com o mundo. Ainda tento voltar para o que era bom. Eu lembro quando eu tinha você, o Lion nosso cachorrinho velho qual amavas e a calçada ainda não refeita por suas mãos, ainda tinha nossas idas à praia nos domingos, todas as moedas ganhadas por dia pra comprar pequenos cadernos para escrever meus sonhos infantis. Eu ainda tinha seus sorrisos, seus sermões, seus jeitos loucos de ser pai. E eu sei que você (que nunca me permitiu lhe chamar de senhor, pois éramos antes de pai e filha, amigos.) ainda me cuida e me nina todas as noites e antes que eu possa derramar lágrimas de sua falta, você me conforta. Ainda te sinto aqui perto e te chamo. Resumidamente, apenas preciso de dizer que eu ainda te amo e ainda não me sinto sozinha.

Flávia Andrade

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, por ler e comentar. Retorne sempre que sentir vontade.

Tecnologia do Blogger.

Curta no Facebook