quarta-feira, maio 13, 2015

Por um fio, por uma dose


     Sou um porre contido prestes a subir na mesa do bar e cantarolar aquela canção dos desamores. A ponto de prometer (ao mundo todo) ficar sóbria por um ano. À beira de um tombo que funcione como uma ficha caindo para acordar para a vida. Sou um porre preso, atônito pelo autocontrole, que não me liberta para não causar estrago. Sou uma bebedeira sem líquido algum. Apenas uma inconsciência presente que vai à frente guiando o rumo que quero seguir. Um porre afeta o gosto na minha boca e eu ajo ainda com completa sobriedade, até que minha lucidez fingida e quase subvertida me corrompa, até que eu viva no intervalo entre o porre e a ressaca.

Flávia Andrade

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, por ler e comentar. Retorne sempre que sentir vontade.

Natasha

Natasha
Adquira o seu!

Blues Mudo

Blues Mudo
Disponível no Wattpad

Arquivo do Blog

Tecnologia do Blogger.

Curta no Facebook