segunda-feira, agosto 10, 2015

Destexto, detesto

    Feitos de desencontros e construções de desentendimentos. Perdidos entre dois: um alguém qualquer e um ninguém que só responde pelo apelido. São, por completo, um desacerto, um crime desprovido de lei. Por acaso, só restou ele de inspiração. Por descuido, só restou ela naquela rua dos desesperados. Por fim, são só palavras de efeito negativo: um desfavor às vidas que tentam seguir.

Flávia Andrade

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, por ler e comentar. Retorne sempre que sentir vontade.

Arquivo do Blog

Tecnologia do Blogger.

Curta no Facebook