Passado-presente

por - abril 13, 2017

⚓Sinta e viva,o tempo é agora⚓

Eu sinto que nós podemos recomeçar. Trago um bocado daquela menina que conheceu na bolsa, trago comigo para você não pensar que tocar meu ombro e dizer seu oi musical mais uma vez foi engano. Mas trago de corpo, por inteiro, a nova pessoa com um quê de mistério que o afronta enquanto o vê se sentar meio incerto, meio duvidoso. É que daqueles anos pra cá vim me tornando certeza: olha quem sou. E de você espero umas mudanças, dessas que a gente nunca sabe o que esperar. Mas vejo mais cor nos seus lábios, como se nos últimos anos tivesse agarrado tantas bocas que sobrou na sua a ardência do prazer de todas. Não me desespera a sua falta de timidez de agora, ao contrário: dessa vez podemos ir, sem temer, àquela boate que anos antes passamos em frente com receio de que o segurança barrasse abaixando seus óculos escuros no meio da noite com o estilo do mundo e dizendo: comuns demais. A distância não nos mudou, quem o fez foi o tempo. E se distantes deixamos os anos passar, por perto não há mais hora para ficar contando

Leia também:

0 comentários